Seja Sócio

Voz da Arquibancada: Eduardo de Souza Matos

Em quinta-feira, 16 julho de 2020

O “Voz da Arquibancada” traz a história de mais um protagonista das arquibancadas e apaixonado torcedor grená: Eduardo de Souza Matos. 

Nascido e criado em Vitória, Eduardo tem tamanha identificação com o clube que, pessoas próximas, referem-se a ele como “O Desportiva“. Hoje com 34 anos, lembra-se com detalhes de momentos marcantes, desde lá no início dos anos 90, quando começou sua jornada de torcedor. 

Figura certa em todos os jogos – garante que só não está presente quando sua escala de serviço na Polícia Militar o impede – revela que a Desportiva virou seu primeiro e único time do coração pelos belos jogos e campanhas nos Campeonatos Brasileiros.

Desde os perrengues, na época que era “moleque”, onde ia para o estádio apenas com o dinheiro do ingresso, até os diversos amigos que levava para os jogos, tornando-os, hoje, fiéis torcedores da Desportiva, Eduardo contou-nos às emoções vividas em toda essa sua trajetória de torcedor. 

As cenas mais marcantes foram a classificação para o quadrangular final da Série B de 1998; a final, contra o Estrela, da Série B do Capixaba de 2012; a Copa ES de 2012, conquistada sobre o Rio Branco; e o golaço – como o mesmo define – de Sorriso, na final do Capixabão de 2013. Também destacou o retorno da Ferroviária, em 2011, quando já não acreditava mais que isso ocorreria.

Mas quem pensa que o caminho foram só de alegrias, se engana. Teve, também, seus momentos de decepção, como na eliminação da equipe grená no Brasileiro de 94, a qual considerou uma “garfada”. Outro momento triste que nos confidenciou foi a parceria como Grupo Villa Forte e, consequente, transformação em Desportiva Capixaba S/A. Esta, definiu como “maldição”.

Abaixo você confere algumas perguntas que fizemos ao Eduardo, para conhecer um pouco mais a sua história.

Quando e qual foi o seu primeiro jogo da Tiva?

– Sei que foi antes, mas como não lembro a data, pois era muito novo, sempre cito como marco inicial a final do Campeonato Capixaba de 1992:Tiva 3 x 0 Comercial. A invasão da torcida antes da partida terminar é muito viva em minhas lembranças.

Acredita em um futuro melhor para a Tiva?

– Com certeza! Sempre acreditei e sonho com isso. Acredito que a volta da credibilidade do clube e a aproximação entre clube e torcida será primordial para a volta por cima do nosso gigante adormecido.

Em quais aspectos acha que o clube deve melhorar ou evoluir?

– O que acho que deve mudar, já foi iniciado, com a transparência e amor ao clube das pessoas que estão envolvidas no resgate da Desportiva.

Como tem feito para se sentir mais próximo do time neste momento de interrupção do nosso futebol? 

– Eu digo que vivo Desportiva 30 horas por dia. Tento sempre estar por dentro do que está acontecendo no clube, assistindo as lives, que são sensacionais, e sempre exalto o nome de um dos meus amores na vida chamado Desportiva Ferroviária.

É isso torcedor grená, essa foi a história do Eduardo, mas também queremos que você conte a sua. Se possui um relato interessante, entre em contato conosco através das redes sociais. A Desportiva somos todos nós.